08 maio 2015

Imagine com Zayn Malik part One

  • Sim, você leu certo o título. 
  • Apesar dele ter saído da One Direction não significa que a One Direction tenha saído dele, porém os últimos acontecimentos provam o contrário...
  • Escrevi este imagine antes do Malik fazer merda atrás de merda.
  • Espero que gostem xXx 
Fonte


Ele ficava tão sereno enquanto dormia... Tudo parecia tão mais simples!

Sai de nossa cama sem fazer barulho e fui tomar um bom banho antes de ir embora, novamente. Zayn odiava quando eu fazia isso, mas era preciso. Eu não aguentaria ter que ir olhando nos seus olhos castanhos...

Terminei meu banho e dentro do banheiro me vesti apressadamente. Abri a porta silenciosamente e ele continuava dormindo profundamente, e se dependesse de mim continuaria daquele jeito.

Peguei minha bolsa que estava ao lado da cama e vi seu celular vibrar em cima do criado mudo. Perrie!

Dei um sorriso fraco e me afastei. Um dos dois namoros iria se destruir em algum momento e suponho que seja o nosso!

Saí do quarto sem olhar para trás, fiz um bilhete rápido e deixei grudado na geladeira. Passei apressadamente pela porta da sala, após perceber que eu estava atrasada para a faculdade.

O vento frio da manhã Londrina me acolheu de braços abertos e eu simplesmente me encolhi. Caminhei despreocupadamente até a estação de metro mais próxima. Assim que o trem parou a minha frente, arrumei minha bolsa no ombro e antes que conseguisse entrar fui puxada bruscamente, me desequilibrei e quase caí. Zayn me encarava seriamente e eu não sabia como reagir momentaneamente, afinal o que ele estava fazendo?

- O que está fazendo?- perguntei olhando ao nosso redor.
- Vindo atrás de você!- respondeu ele como se fosse óbvio.
- Por quê?- perguntei o encarando esperançosa.
- Porque...- ele viu algo por atrás de minhas costas, pois seu corpo ficou tenso.- Porque somos amigos e você ainda é nova na cidade.

E novamente aquela cena ridícula! Respirei fundo e dei dois passos para trás.

- Já que está preocupado se eu sou nova ou não na cidade, tenta não ser meu namorado e continue só na amizade. Que tal?- perguntei irônica deixando claro que estava terminando com nosso relacionamento.

Assim que o trem parou a minhas costas, me virei entrei no vagão, rezando mentalmente todas preces e orações que eu conhecia para que ele não me seguisse. Acho que minha expressão facial o instruiu a não me seguir ou então o brutamontes que estava de braços cruzados falando algo sério a ele, que apenas abaixou a cabeça e saiu dali.

As portas se fecharam e trinta minutos eu estava descendo na minha estação. Subi aquelas escadarias correndo e quando saí a multidão de pessoas ali parecia ser impenetrável, bufei irritada e saí empurrando a todos quando necessário, quando consegui uma brecha corri até a faculdade. Pelos meus cálculos eu perderia o primeiro horário, porem não me importei. Seria só mais alguns minutos para pensar...

[...]

O sinal estridente soou me fazendo sair do meu mundo paralelo e voltar para a realidade. Me levantei e bati a mão pela minha roupa tirando os pedaços de grama. Olhei para o céu e ele estava nublado, assim como o meu humor. Prevejo que hoje irá chover!

Peguei minha bolsa e corri até a minha sala, entrei segundos antes do professor o que foi um grande alivio e rapidamente eu me sentei ao fundo da sala.

Meus amigos me encararam preocupados e aposto que meu rosto deixava bem claro o meu mal humor.

- Bom dia turma! Hoje temos uma atividade especial, então se separem em grupos de três a cinco pessoas.- o silêncio que havia permanecido por exatos três minutos logo se dissipou quando o som de carteiras sendo arrastadas e conversas altas preencheram o lugar.

Encostei minha cabeça na mesa bruscamente e suspirei cansada. Eu cansei da mesma cena se repetir... de novo, e de novo, e de novo...

- Posso fazer essa atividade com você?- perguntou alguém com a voz grave e firme acima de minha cabeça, levantei a mesma e percebi que era Henry.
- Claro!- concordei simpática. Logo meus dois amigos se juntaram a nós no grupo. Era isso o que eu precisava, distração.

Aquele som ensurdecedor das conversas paralelas estavam começando a me deixar com sérias dores de cabeça e minha cara de poucos amigos deve ter surtido efeito em meus amigos, pois logo Rebecca gritava pedindo para que o professor explica-se o que tinha de ser feito.

- Calma, senhorita Valentine!- pediu ele calmante.- Tudo tem sua devida hora.- eu bufei e novamente baixei minha cabeça na mesa e ouvi o som das gargalhadas de meus colegas de turma.- Algum problema, senhorita (Seu sobrenome)?- levantei novamente minha cabeça e vi o professor me encarar, esperando por um resposta.
- Problemas? Estou cheia deles!- comentei. A sala novamente explodiu em gargalhadas até meus amigos estavam no meio. Eu por outro lado continuava séria assim como o professor parado em frente a turma.
- Boa!- comentou ele antes de sorrir acolhedor.- Quero que vocês comecem um trabalho especial, ele valerá como a maior nota do semestre e ajudará vocês a passarem para o próximo ano da faculdade.- começou ele, enquanto algumas pessoas continuavam a falar ou rir sem parar.- Cada grupo terá um tema escolhido por mim e explico o resto depois que dizer o tema de cada um.- falou ele pegando uma prancheta com algumas folhas presas.

Ele olhava para cada um daquela sala e conforme queria escolhia um tema.

- (Seu nome), Rebecca, Henry e Luke vocês ficaram com...- começou o professor antes de fitar o papel diversas vezes.- Genoma Humano.

Eu xinguei aquele cara de diversos palavrões que conhecia em todas as línguas possíveis. Aquele tema era o pior de todos...

O infeliz... digo professor explicou como deveria ser feito o trabalho e nos dispensou pedindo apenas que meu grupo ficasse ali.

Esperei que todos saíssem para guardar meu material e vez ou outra alguém me dizia: "Meus pêsames!", "Sinto muito por você!", "Se lascou, (Seu nome)!", confesso que ri de alguns.

- Eu queria lhes dizer que eu dei este tema tão complicado pelo fato dos quatro serem os melhores da turma e que sinceramente espero que você dêem o seu melhor.- falou ele rapidamente, demoramos alguns minutos para associar cada palavra, mas assim que aconteceu agradecemos pelas palavras.- Se precisarem de qualquer ajuda, sabem onde me encontrar!- exclamou ele animado. Apenas agrademos novamente e saímos da sala.

Nos encaramos por alguns segundos antes de rirmos.

- Eu, Luke e Henry, sermos os melhores alunos da turma até que vai... Mas você, (Seu nome)?- perguntou Rebecca fingindo desdém, eu a empurrei me fingindo de ofendida e rimos.
- Eu sou uma boa aluna...- comentei e os três me encararam com as sobrancelhas arqueadas.- Só tenho preguiça de demonstrar!- completei fazendo drama.

As piadas e conversas duraram até o final do horário letivo. Me despedi de cada um com um abraço e segui para o meu trabalho no hospital.

Fazer Biomedicina era extremamente cansativo, mas muito revigorante quando você conseguia ajudar uma pessoa.

[...]

O caminho para casa foi estressante, principalmente pelo fato do transito não ter ajudado em absolutamente nada.

Assim que virei a esquina de casa, pude ver um carro bastante conhecido por minha pessoa, pensei em dar meia volta, mas seria infantil demais de minha parte. Segui caminho até entrar no hall de entrada de meu prédio, cumprimentei o porteiro e caminhei até os elevadores. Logo alguém parou ao meu lado, mas aquele perfume era memorável.

Olhei para o lado apenas para confirmar e Zayn estava ali me encarando. O elevador chegou e entramos no mesmo em silêncio. Ainda bem que ele sabia que eu odiava escândalos e que se fossemos brigar que seja dentro de casa.

O elevador parecia nunca ter saído do lugar, pois quando o mesmo parou em meu andar quase saltei pela porta. Peguei as chaves do apartamento em minha bolsa e destranquei a porta, abri a mesma e entrei deixando aquele pedaço de madeira aberta para que ele entrasse.

Joguei minha bolsa no sofá e esperei que ele começasse com as desculpas, mas nada aconteceu. Novamente, o silêncio me acolheu sem se importar.

- E então?- perguntei quebrando aquele silêncio.
- Eu vim aqui terminar.- respondeu ele objetivo me encarando profundamente.
- Você o quê?- perguntei perplexa.
- Você me ouviu!- exclamou ele, mas logo respirou fundo.
- Ótimo!- comentei caminhando até a porta e a abrindo.- Você já fez o que lhe ordenaram. Pode ir!- falei mantendo-me firme.
- (Seu nome)...- começou ele.
- VAI EMBORA AGORA!- gritei cansada.- Por favor, não volte.- falei assim que ele passou triste pela porta.

Ele se virou e ficou me encarando, abrindo a boca diversas vezes tentando falar algo, mas nada saía. Senti uma lágrima rolar pelo meu rosto e antes de desabar de vez, fechei aquela porta de uma vez a trancando em seguida.

Eu me encostei ali mesmo e deslizei até o chão onde chorei por horas a fio. Retirei a aliança de compromisso e joguei contra o corredor, não percebi onde a mesma foi parar.

Eu o entreguei tudo o que tinha inclusive meu coração e eu era retribuída desta forma?

Como eu fui ingênua e tola por ter me apaixonado pelo Bad Boy.

[...]

A semana se seguiu monótona.

Eu realizava as mesmas rotinas, levantava, comia, ia pra faculdade, almoçava, ia trabalhar e então voltava para casa onde chegava e dormia.

Meus amigos perceberam que havia algo de estranho e eu simplesmente desabafei. Novamente, eu chorei por horas. Luke me aconselhou a respirar fundo, Rebecca xingou Zayn de todos os nomes possíveis e Henry apenas me abraçou.

[...]

Quando três semanas já haviam se passado.

O pessoal achou que era hora de eu dar a volta por cima, afinal eu estava acabada e estava perdendo peso rapidamente. Foi graças a um desmaio que me levaram a um hospital e souberam que eu estava com desnutrição.

[...]

Os três meses seguintes foram como levar uma água fria na cara.

Eu voltei a seguir minha vida e a me cuidar melhor, apesar de sentir falta de Zayn.

Eu parei de segui-lo em todas as redes sociais e deixei com que minhas contas se tornassem privadas. Apenas quem eu seguia (ou me seguia) conseguiria ver minhas coisas.

[...]

Em um belo dia, eu e Henry, fomos alvo de Rebecca que tirou uma foto nossa juntos em um parque num dos raros dias de Sol na cidade. Não era nada demais!

Ele me encarava com um sorriso de lado e eu o encarava tímida, principalmente pelo comentário que ele havia feito.

"- Gata! Sei que você não é vulcão, mas está em erupção.- falou Henry mantendo-se sério.
- Essa não foi uma boa cantada!- comentei encarando Luke comprar nossos sorvetes. Logo o som da risada de Rebecca quebrou o pouco silêncio e nós três rimos.
- Credo! Faça uma cantada melhor.- ordenou Becky animada.
- Certo.- concordou Henry se sentado corretamente.- Vire-se para mim, por favor.- pediu ele educado. Dei de ombros e fiz o que foi pedido.
- Isso vai ser interessante!- comentou Becky pegando sua câmera.

Sorri com seu comentário e olhei meu amigo o desafiando com o olhar. Ele riu e olhou no fundo dos meus olhos.

Naquele momento eu não senti nada, o mundo ao meu redor não parou e não ouve o famoso frio na barriga.

- Sei que não sou um Romeu, mas posso te tornar minha Julieta!- falou ele. No mesmo instante senti meu rosto esquentar e ele sorriu de lado.

Nos encaramos por mais alguns segundos.

- Essa foi ótima!- falei quebrando aquele clima estranho.
- Eu sou demais!- exclamou ele se achando."

O infeliz se gabou daquilo por dias, mas o comentário da foto rendeu.

"Será que o amor está no ar? Espero que sim! xXx"

Até meus pais perguntaram quem era ele e contei a verdade, meu pai respirou aliviado e minha mãe ficou me encarando como se eu estivesse aprontando uma.

Liam havia me ligado para saber como eu estava e sobre a foto.

"- Alô!- saudei me jogando no sofá.
- (Seu nome)?- perguntou um homem. Eu conhecia aquela voz, mas da onde?- É o Liam!- completou. Sabia que conhecia!
- Leeyum!- exclamei animada arrancando risadas de ambos os lados. Ouvi alguém dizer ao fundo para colocar a ligação no viva-voz e ele o fez, pois pediu um segundo de espera. Abafei o telefone e ri.- Como você está, pequena?- perguntou ele preocupado.
- Agora estou bem!- comentei enquanto mudava a televisão de canal, no mesmo instante dei um tapa na testa e bufei.
- Como assim?- perguntou ele extremamente preocupado.
- Não foi nada. Eu já estou bem e é isso o que importa!- respondi.
- Concordo, mas isso não muda o fato de que eu quero saber.- rebateu ele e eu bufei. Zayn que se foda!
- Eu acabei me descuidando e me foquei no profissional, esquecendo da minha saúde o que resultou em um desmaio, hospital e uma quase anemia.- falei calmamente.
- E você me conta isso agora? Quando houve isso?
- Liam... Nós não estávamos nos falando e não importa quando houve. Eu já estou muito bem! A Becky, Luke e o Henry andam cuidando de mim!- falei desligando a televisão.
- Certo!- novamente ouvi alguém ao fundo falar algo.
- Está merda de ligação está no viva-voz, Payne?- perguntei irritada.
- Foi mal, pequena! Mas o dudes queriam saber como você estava.- Liam se desculpou e eu revirei os olhos.
- Para isso existem visitas, celulares, redes sociais, emails e cartas...- falei irritada.
- Não fique brava!
- Não estou!- comentei esticando as pernas no sofá."

O som da campainha se fez audível e eu pedi licença pro Liam. Estranhei o fato do interfone não ter tocado, mas abri a porta do mesmo jeito.

Dei de cara com quatro amigos sorrindo abertamente.

- Surpresa!- berraram eles no meio do corredor. Sorri com eles e lhes dei passagem para que entrassem. Harry me abraçou com força e pediu desculpas pela falta de tempo. Niall me abraçou, deu um beijo na bochecha e se desculpou. Louis foi o mais engraçado, passou por mim como se fosse dono da casa e se jogou no sofá enquanto eu o olhava curioso, ele logo riu, se levantou e correu para me dar um abraço apertado, além das desculpas ele disse que havia sentido a minha falta, eu apenas me limitei a dizer: "eu também". Quando chegou a vez do Liam desliguei meu celular e o abracei com força.

Ele fechou a porta em meu lugar e eu me sentei novamente.

- Afinal, quem é Henry?- perguntou Louis objetivamente.
- Por que quer saber?- perguntei cinicamente.
- Porque sou seu irmão mais velho!- respondeu ele obviamente, antes que eu retrucasse ele continuou.- Mesmo sendo só de consideração.

Revirei os olhos e antes que eu respondesse novamente a campainha tocou.

- Não tem porteiro nesse merda mais não?- perguntei retoricamente.
- Quando subimos não havia ninguém na portaria.- respondeu Harry. Sorri agradecida pela informação e fui abrir a porta.

Assim que a abri, encontrei meus três amigos com sorrisos enormes na cara e várias sacolas.

- Pra que tudo isso?- perguntei arqueando uma das sobrancelhas.
- Seria bom se você apenas nos deixasse entrar!- comentou Henry me fazendo rir. Dei a passagem que eles queriam e os três foram direto para a cozinha.

Os caras me olharam sem entender nada, apenas dei de ombros, fechando a porta novamente.

- E aí?- exclamou Becky chegando a sala e cumprimentando a todos.- Ainda está de pijama? Sério isso?- perguntou ela me encarando.
- Que eu saiba não tenho planos nenhum para hoje.
- Claro que tem!- comentou Henry aparecendo, cumprimentou a todos e meu deu um beijo na testa.- Já comeu?- perguntou ele baixo, apenas neguei e ele revirou os olhos voltando para a cozinha.
- Devo me preocupar com minha cozinha? - perguntei alto para Henry que apenas apareceu na porta da minha cozinha para me mostrar o dedo do meio. - Babaca! - disse revirando os olhos.

Rebecca e Luke riram alto, mas assim que os encarei ficaram quietos.

- Coma! - ordenou Henry assim que voltou a sala com um sanduíche colocado em um prato e um copo de suco. Abri a boca para lhe dizer que não estava com com, mas Beck e Luke me encaravam sérios.
- Já estou comendo, pais e mãe! - disse pegando o prato e o copo de suco, voltei para a cozinha e comi em silêncio. Aproveitei aquele pouco tempo, logo o som das risadas de meus amigos se tornaram audíveis e eu sorri sozinha.
- Já está enlouquecendo, pequena? - perguntou Liam. Ele logo se aproximou da onde eu estava e se sentou ao meu lado.

Ficamos nos encarando.

-  O que você quer me dizer, Liam? - perguntei desviando o olhar e encarando um ponto fixo qualquer da parede.
- Ele está mal... Ele estava parando de fumar, mas quando o relacionamento de vocês chegou ao fim ele afundou de vez. Agora, além do cigarro, ele usa a bebida como escape.
- Sinto muito por ele, mas ele desistiu primeiro. Não me peça para voltar com ele, pois isso implicaria para que eu voltasse a viver aquela vida e não é isso o que quero...
- Jamais te pediria isso! Mas, o que você quer?
- Eu quero ser feliz! - respondi convicta.
- Então eu serei o primeiro a te apoiar! - disse ele sorrindo, retribui animada.
- Obrigada! Agora temos que voltar para a sala antes que eles quebrem algo... - comentei fazendo careta.

Minha sala estava uma verdadeira bagunça, mas eu não consegui dar uma bronca digna, pois a cena era mais engraçada.

Os homens daquela casa, com exceção de Liam, estavam sem camisa até aí tudo bem... O problemas era eles estarem com todos os tipos de plumas envolta de seus corpos fazendo danças ridículas.

Comecei a rir sem parar e só controlei minha crise quando o som da campainha ecoou pelo apartamento. Caminhei lentamente até a porta sentindo algumas lágrimas em meus olhos e abri a mesma sem olhar pelo "buraco mágico", para minha total surpresa, Zayn estava ali acabado me encarando.

Oh God!



Imagine Anterior                                                                   Próximo Imagine

7 comentários:

  1. Você precisa postar a próxima parte desse imagine ele ficou muito bom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Pode deixa que logo posto, só estou finalizando.

      Excluir
  2. AGATHA PELO AMOR DO SANTO DEUS CONTINUA <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Continuo sim... Só estou finalizando ele!

      Excluir
  3. Ai estou muuuuito ansiosa!! Continua meu anjo!

    ResponderExcluir