03 agosto 2014

Imagine com Liam Payne - Parte 03



Liam- Pois saiba que...

Ele parou de repente e eu o encarei esperando pelo que viria a seguir, mas nada aconteceu. Ficamos nos encarando por um bom tempo.

- Termine, por favor!- pedi educadamente.

Ele piscou rapidamente como se houvesse acabado de sair de um transe e me encarou sério.

- Eu adoraria, mas não quero falar sobre mim.- disse ele sério. Eu bufei.
- E quer falar sobre o quê?- perguntei me irritando. Odiava quando ele me escondia alguma coisa.
- Qualquer coisa que não me envolva.- eu o encarei incrédula e ele riu fraco.- Apenas por hoje, prometo que amanhã lhe conto tudo o que quiser saber.

O encarei desconfiada e olhei no fundo de seus olhos a procura de qualquer indicio de mentira ou algo do gênero. Entretanto, esta busca foi um completo fiasco, já que eu apenas vi a sua sinceridade ali. Assenti positivamente com a cabeça e o vi abrir o sorriso.

- Mas não pense que irá escapar desta conversa, mocinho!- disse fazendo graça e vendo o mesmo gargalhar.
- Sim, senhora!- concordou ele fazendo uma leve continência. Ambos rimos dessa cena.

Depois das risadas ficamos novamente em silêncio, só que dessa vez não era incomodo aquela situação e sim necessária.

- Como anda a sua vida?- me perguntou ele.
- Corrida. Tenho andado dividida com casa, cachorro, trabalho, amigos, familiares e romances...- falei despreocupada. Só me dei conta do que havia dito por último, após ver o sorriso do homem a minha frente se desmanchar gradativamente.
- Romances...?- perguntou ele.
- Ér...não quero falar sobre isso.- lhe respondi.
- Como assim não quer falar sobre isso?- perguntou ele se exaltando.
- 1° Eu não quero; 2° é meu direito escolher não falar sobre isso; e 3° abaixa este seu tom.- falei enumerando com os dedos.
- Abaixo se eu quiser.- falou ele alto.- E desde quando você não me conta as coisas?- perguntou ele abaixando o tom. Bipolar!
- Desde quando você não me conta as coisas?- perguntei retoricamente.- Ah! Me lembrei já fazem quatro anos e a ultima vez foi bem traumatizante.
- Só se tiver sido para mim.- disse ele irritado.
- Para de se fazer de vítima, pois você não é uma.
- Como não? Eu havia acabado de me declara para você e mesmo assim fui mandado para escanteio.- falou ele se levantando e caminhando para longe de mim.
- VOCÊ NÃO HAVIA SIDO MANDADO PARA ESCANTEIO.- berrei perdendo a calma.- Eu te amava, imbecil. Te amava tanto que chegava a doer, mas mesmo assim você e seu ego, resolveram fazer as conclusões mais precipitadas possíveis.- disse e respirei fundo, percebi Liam me encarar sem nenhuma expressão que eu decifrasse, mas eu me levantei e andei até a janela.

O movimento da rua se encontrava mais agitado. Talvez pelo fato das crianças terem chegado da escola e estarem aproveitando enquanto podiam e como podiam, sorri com a cena de várias delas brincando alegremente umas com as outras.

- Você acabou estragando tudo sozinho, Liam.- disse assim que o senti se aproximar de mim.
- E quando você pretendia dizer?- perguntou ele ao meu lado.
- Antes de você sair daquela cozinha igual a uma menininha medrosa.- respondi séria. Ele acabou rindo com minha comparação e eu revirei os olhos.

E o silêncio voltou com tudo.

- Você não me ama mais?- perguntou ele do nada, após um bom tempo de silêncio.

Respirei fundo e fiquei em silêncio.

Eu o amava? Eu sei que sim, mas e o Nick, ele era o homem a qual eu planejava passar o resto da minha vida ao lado. Eu amo o Nick, caso contrário eu jamais teria aceitado o seu pedido de casamento. Mas e Liam, eu o amava, não?

Bufei irritada e o olhei Liam que me encarava preocupado (?).

- A resposta da sua pergunta é simples. Eu não sei!- exclamei e me afastei da janela, voltando a me sentar no sofá. Levei as mãos ao meu rosto e cobri meus olhos com a mesma, ficando na escuridão. Fiquei assim por um tempo até senti o assento do sofá ao meu lado afundar, indicando que ele havia se sentado.

Não demorou muito e senti seus braços ao meu redor. Um abraço!

Quanto tempo que nós não nos abraçávamos? Eu sentia falta daquele conforto, daquela segurança, daquela certeza de que mesmo estando presa em uma terrível tempestade tudo ficaria bem.

- Eu senti falta de te abraçar, de sentir o seu cheiro, do seu perfume, do cheiro de morango que seus cabelos exalam, senti falta de poder estar ao seu lado sem me preocupar... Eu senti a sua falta, (Seu nome)!- falou ele sussurrando em meu ouvido.
- Eu também, Liam. Eu também!- lhe disse cansada.

[...]

Já eram 3h da madrugada e eu não havia conseguido dormir.

Liam pediu para sair comigo hoje prometendo que faria eu ver os meus sentimentos sobre ele e eu aceitei. Então, ele foi embora com um sorriso enorme, como se houvesse acabado de ganhar o seu melhor presente. Porém, depois de meia hora após a sua ida, acabei me lembrando que eu teria de encontrar Nick no aeroporto para vermos algumas coisas do casamento.

Dessa vez eu havia me metido em um problema enorme.

Caminhei por menos de cinco minutos até a cozinha, passando pelo corredor do segundo andar, pelas escadas, sala e corredor, para chegar a minha localização atual. Eu preparava um chá de camomila, na tentativa de me acalmar e me fazer dormir. Eu só me xingava mentalmente por não ter tido esta ideia antes.

Após o chá estar pronto, coloquei o seu conteúdo na xícara, esperei o esfria um pouco e o tomei. Tomei todo o conteúdo e coloquei a xícara na pia. Me preparava para voltar para o meu quarto, especificamente, para a minha cama, quando ouvi a campainha tocar insistentemente.

De primeiro momento fiquei assustado e caminhei lentamente até a porta. No meio do caminho peguei um guarda chuva para me defender caso fosse necessário. Olhei pelo olho mágico tentando identificar o visitante, mas não vi nada, então dei de ombro.

Com o coração na mão destranquei a porta e a abri. No minuto seguinte, senti lábios macios e molhados entrarem em contato com os meus. Empurrei a pessoa com violência.

Eu ainda era noiva e tinha ideais formados em minha cabeça a qual defenderia até o ultimo.

Assim que me recuperei, vi Liam me encarando surpreso e quem acabou ficando surpresa fui eu. O que ele fazia aqui? Neste horário? Pude perceber que chovia consideravelmente forte do lado de fora. Bufei e o puxei bruscamente para dentro da casa, afim de tira-lo da chuva.

- O que faz aqui a este horário?- questionei depois que ele se encontrava seco.
- Eu...eu...precisava ver você...eu tinha que ver você...- falou ele cortadamente.

Tinha algo errado. Dei um passo a frente desconfiada e ele deu um para trás.

- O que você está me escondendo?- perguntei avançando lentamente, enquanto ele dava a mesma quantidade de passos para trás.
- Na...na...nada.- respondeu ele batendo as costas na parede e eu parei em sua frente, impedindo o mesmo de se mexer.
- Não gosto de mentiras!- disse calmamente.
- Não estou mentindo.- falou ele sério, mas desviando os seus olhos do meu. Um sinal claro de que ele estava mentindo.
- Diga isso olhando em meus olhos.- pedi.

Ele me olhou nos olhos. Eu pude ver suas pupilas dilatadas e em seu glóbulo o vermelho. Não acreditei naquilo.

Ele estava se drogando. Como eu o ajudaria?

Me aproximei e o puxei para um abraço apertado sussurrando em seu ouvido que tudo mudaria a partir dali. E mudaria, pois eu iria o tirar dessa.

[...]

Acordei com dores pelo corpo e sem me lembrar de como eu havia ido parar no sofá, mas após me sentar e ver Liam todo torto na poltrona o acontecimento da noite passada invadiu minha mente.

Esfreguei minhas mãos no rosto e bufei frustada. Não sabia o que fazer, não assim.

Sai do sofá e fui preparar algo para comermos. Fiz o maior esforço para não chorar, mas foi inevitável segurar as minhas lágrimas. Chorava por me sentir culpada, frustada. Por ter desistido facilmente de tudo e por ter recomeçado sem ele ao meu lado. Se eu não fosse tão egoísta nada disso teria acontecido e eu não teria que lutar novamente contra algo que havia destruído minha família anos atrás.

Ouvi passos se aproximando e tratei de secar as minhas lágrimas, corri até o banheiro e lavei o rosto. Passei o pó compacto que estava ali e voltei a cozinha, encontrando Liam pensativo.

- Bom dia!- exclamei fingindo animação.
- Bom dia.- falou ele pensativo.
- O que tanto pensas?- perguntei curiosa voltando a cozinhar.
- Em como eu vim parar aqui, pois a ultima coisa que eu lembro é de estar na rua e...- ele se calou imediatamente.
- E...?- incentivei-o.
- Esquece.- falou sério.

Eu fiquei irritada, mas dei de ombros. Não podia bater de frente com ele agora, eu precisava de um plano e de ajuda.

- Você aceitou isso muito rápido. O que houve?- perguntou ele desconfiado.
- Quê?- fingi não ter escutado.
- Você me ouviu!
- Foi mal, mas estou cozinhando e preocupada com umas coisas aí.
- Se precisar de ajuda, conte comigo.- falou ele sorrindo, eu assenti positivamente e voltei meu olhar para a panela a minha frente.
- Digo o mesmo a você.- falei em som audível.

Logo o silêncio se instalou no local. Eu fique incomodada, mas fiquei quieta e tentei manter a máxima concentração no que eu cozinha.

Olhei para a panela e eu havia perdido o ponto, fazendo com que a massa queimasse. Eu bufei e sem querer encostei o braço na panela queimando o mesmo e derrubando tudo no chão, consequentemente o conteúdo da panela pegou minha pernas e eu soltei um grito agudo.

Senti braços fortes me puxarem e me tirarem do chão. Eu odiava ser carregada, mas nem me importei. A dor era enorme e eu só conseguia me concentrar nela.

[..]

- Você é a pessoa mais desastrada na cozinha que eu conheço.- falou o Liam terminando de fazer os curativos. Eu não retruquei e bufei.- E está estranha a manhã inteira. Então vou ter que perguntar?- perguntou ele, mas eu me mantive calada.- Certo! O que está havendo?- perguntou ele preocupado.

Respirei fundo.

- Nada, Leeyum! Não está havendo nada.- lhe respondi.
- Eu te conheço, então para de se fazer de forte e me diga.
- Eu não posso!- disse derrotada.
- Por que não?
- Porque eu não quero falar sobre isso.

Antes que ele dissesse algo, meu celular tocou fiz menção de levantar, mas Liam me impediu e pegou o mesmo para mim.

Olhei o visor e vi o nome de Nick. Atendi sem pensar duas vezes.

- Olá!
- Olá! Como você está?- perguntou ele.
- Bem e você?
- Estou bem. Só liguei para ouvir a sua voz e avisar que não irei para Londres hoje, apenas no final de semana.
- O quê? Por quê?- perguntei preocupada.
- Não se preocupe! Só aconteceu uma emergência aqui na agência e eu tenho que resolvê-la.
- Ah!
- O quê? Sem nenhum escândalo, drama, xingamentos ou algo do gênero?- perguntou ele fazendo graça e me deixando irritada.
- Se acha que sou escandalosa, dramática, boca suja e algo do gênero, por que me pediu em casamento?
- Não foi isso o que eu quis dizer. E eu te pedi em casamento porque te amava!- exclamou ele cansado do outro lado.
- Amava?- perguntei mais pra mim do que para ele.
- O quê?
- Amava? No passado, então você não me ama mais?- perguntei me arrumando no sofá.
- Amo, mas...- eu o interrompi.
- Corta essa do "Mas" e me diga logo a verdade.
- Eu conheci uma mulher aqui e eu percebi que estávamos fazendo tudo rápido demais...- ele suspirou.
- Espero que sejam felizes.
- O quê? Não...
- Tchau, Nick!- me despedi e desliguei o celular.

Encarei o celular por um tempo até ter coragem de encarar Liam. O mesmo me encarava preocupado, fiquei irritada com o seu olhar de pena e me levantei ignorando a dor, joguei meu celular na poltrona e subi para o meu quarto. Onde eu me tranquei.

[...]

Já fazia horas que eu estava naquele quarto, apenas encarando o teto.

Resolvi comer algo, após meu estomago dar sinal de vida. Destranquei a porta e saí do quarto indo rumo a cozinha.

Ao chegar na mesma tomei um susto, pois lá estava...












Nota da Autora: O próximo capitulo está sendo finalizado e corrigido, amanhã quando chegar da escola eu posto. Beijos e até! xXx
Ps: Deem uma olhada no meu Blog (thedreamofgirls.blogspot.com.br) e digam o que acharam, por favor! Valeu ;)








Imagine Anterior                                                              Próximo Imagine

5 comentários:

  1. DE NOVO! De novo vc parou no meio do nada. Não te amo mais. MENTIRA EU TE AMO MUITÃO!! Continua pq eu tô ansiosa pra ver o final u.u

    ResponderExcluir
  2. continuaaaaa!! Gente to emocionada! Larguei de ser anonima e criei um email!
    Continua se não eu chamo meus 7 anões para ir na sua casa te prender sahusuashaus
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk....pode deixar! ;P

      Excluir
    2. Oi Annaaaaaaa Finalmente vc criou uma conta!!

      Excluir