24 novembro 2014

2° Temporada - Capitulo nove: everything that kill me makes me feel alone...



O consultório já havia ficado frio demais aquela tarde. Maya estava deitada naquela cama com um avental e a barriga amostra. Zayn estava ao seu lado, esperando que Liam chegasse a tempo de ver o ultrassom.

Depois de alguns minutos, o médico entrou na sala e se sentou ao lado da cama.

              – Você é o pai ? – perguntou ao Zayn.
              – Não, ele é meu irmão... o pai está atrasado – riu nervosa.
              – Bom, vou começar o ultrassom para não atrasar – disse passando o gel sobre sua barriga – Hm... é o seu primeiro ultrassom ? – respondi que sim – Bom, eu tenho duas noticias – disse fechando a gaveta em sua frente – São gêmeos.
             – Nossa – disse ela, sorrindo feito boba – e a outra noticia ?
             – Suas crises uterinas não foram muito favoráveis para eles – disse, frio.
             – Aconteceu alguma coisa ? – perguntou aflita.
             – Vou ser sincero... acontecer, não aconteceu, mas duvido que você consiga chegar ao final da gravidez.


Maya paralisou. Estava espantada mas mesmo assim sorriu para o médico e o irmão, levantando daquela cama e indo embora. Pelo caminho sentiu cada um dos bebes chutarem com força sua barriga. Mesmo com dor, sorriu, talvez seria a ultima vez que pudesse senti-los. 


Ao chegar em casa se trancou no quarto. Não tinha vontade de chorar, nem nada disso, apenas de ficar sozinha e não pensar em nada.

Liam logo chegou na casa dos Malik e percebeu o clima tenso.

               – Boa tarde família – disse ele alegre – Nossa, que clima.
               – Feliz ninguém vai ficar – disse Zayn, seco.
               – Aconteceu alguma coisa ? – perguntou – É com a Maya ?
               – Melhor você subir Liam, lá ela te explica – disse Trisha, o empurrando para cima.


Liam subiu as escadas correndo e viu a porta de Maya fechada. Bateu nela e ninguém respondeu, abriu assim mesmo. Ela estava deitada na cama, virada de costas. Liam se deitou na cama a abraçando e beijando seu rosto. Se aconchegaram juntos.

                 – Está tudo bem ? – perguntou ele.
                 – Sim – sorriu falso.
                 – Que bom, preciso te contar uma coisa – se sentou e ela se virou para ele – Não passei na faculdade de musica ...
                 – Nossa – se sentou – Como você está ?
                 – Eu estou mal, bem mal – sorriu fraco – Mas tudo bem, eu tento no outro ano.
                 – Desculpa – lágrimas saiam dos olhos dela. Ele a olhou confuso – Eu te atrapalhei, fiquei te estorvando, me desculpa.
                – Ei, não foi sua culpa – limpou seu rosto – Isso acontece, ninguém passa direto em faculdade...
                – Liam eu estraguei a sua vida e em vão.
                – Não foi em vão, nós vamos ter uma família, boa, feliz – passou a mão pela barriga dela.
                – Não vamos não – ela soluçava – Não vamos Liam, a gente vai perder os bebes...
                – Bebês ? – disse baixo – Não vamos ter os bebês porque ?
                – Porque eu não vou chegar no final da gravidez. O médico disse que eu não vou aguentar...
                 – Shh... calma – abraçou-a – São gêmeos ? – ela assentiu – Meu Deus...
                 – Um casal – agora ela sorria.
                 – Ei... – segurou seu rosto – Eu te amo, independente se você vai ter ou não esses bebes. Se eu vou passar ou não na faculdade, eu não ligo. Vou te amar do mesmo jeito.

                 – Maya sorriu de canto – Eu não seria nada sem você – o abraçou – Obrigado por existir. 



Seunome povs~~



Aquela perna já estava me enchendo o saco. Lá estava eu no sofá, no tédio eterno, quase dormindo. A tv estava ligada mas não passava nada nela. Antes mesmo de fechar os olhos senti meu pescoço ser tomado por uma boca molhada e fria. Sorri.

                 – Oi princesa – disse Jake – está melhor ?
                – Estou sim – sorri gentil, ele se sentou ao meu lado – o que faz aqui tão cedo ?
                 – Seu pai disse pra eu ficar mais cedo aqui – sorriu.
                 – Posso te perguntar uma coisa ? – me virei para ele e ele assentiu – Você ainda anda com o Philiph ? Sabe ... daquele jeito ?
                 – Não – ergui a sobrancelha – Tá, ele é meu amigo, mas eu não faço mais aquelas coisas que ele manda.
                 – Hm... bom mesmo – mexi em sua blusa.

                 – Seu pai está em casa – disse olhando para os lados  e eu balancei a cabeça – ótimo !



 Então ele pegou meu pescoço de jeito e me beijou, calmo e ao mesmo tempo feroz. Não hesitei em beija-lo. Mas algo era diferente... eu o beijava mas não sentia nada, era como se eu estivesse ficando com alguém forçado. Com Louis era bem diferente. Eu sentia calor, sentia vontade de ficar com os lábios grudados a todo momento.

 Se concentra na realidade. Louis não é seu !

 Balancei a cabeça e coloquei minha perna direita em cima da sua, de forma desajeitada. Lembrei de quando namorávamos e Jake era tudo para mim. Então foi ai que consegui ao menos beija-lo e gostar.

              – Isso foi bom – ele comentou e beijei sua bochecha – Muito bom !


 Louis povs ~~


Estava no quarto com Maria e ela já estava enchendo meu saco. Havíamos brigado. Ela me acusou de ter colocado ela naquele reformatório. Maluca.

Desci as escadas e acho que foi pior. Seunome e Jake se pegavam no sofá, sem dó. Até pensei que ela não estivesse gostando mas de repente ela se ajeitou no sofá e partiu pra cima dele, depois partiu o beijo e sorriu. Ele me olhou dizendo um ‘’muito bom’’ e sorrindo sínico no final. 



     – Louis ? Aonde você vai ? – ela gritou, enquanto eu saia pela porta a fora.

Sai com meu skate e andei pela cidade inteira. Comi, me molhei na chuva, fiz tudo que pudesse me distrair. Mas foi em vão. Tudo parecia resultar em gostar dela. Sempre dela. Talvez ela tivesse razão, eu a machucava demais. Mas eu gostava disso. Não se machuca-la, mas de brigar com ela todo tempo. Era divertido, excitante, me fazia correr atrás dela mais ainda. Eu só implicava com ela porque gostava muito dela. Eu a amo. E agora, um cara idiota estava roubando ela de mim.


Voltei para a casa bem a noite, eram quase uma da manhã. Quando entrei, ninguém estava acordado ou veio me encher o saco. Fui para o quarto de minha mãe e ela não estava lá, nem na cozinha, nem no banheiro. Talvez tenha saído com Thomas, ou sei lá, mas ela não estava ali para eu chorar em seus braços. Sai do quarto me deparando com seunome  subindo as escadas sozinha. Não corri para ajuda-la, afinal, não era o Jake que ia ajuda-la ? Cadê ele agora ?



          – Louis ? – disse ela. Não queria parar e nem falar com ela, mas eu precisava disso – Aonde estava ?
         – Sai, porque ? – perguntei frio. Ela me olhou magoada pelo meu tom, mas continuei com a postura – Cadê o Jake ? Vocês não estavam ocupados o bastante ?
         – Olha, aquilo mais cedo foi só...
         – Foi só dois namorados se pegando. Poxa, eu não sou idiota, eu entendo as coisas bem rápido.
         – Que bom que entende – não estava acreditando que ela me falara aquilo. Não mesmo.
         – Sério ? – me aproximei dela – Me fala a verdade agora seunome – segurei seu rosto firmemente – Você sentiu a intensidade dos meus beijos no do dele ? – ela fixava em meus olhos – Olhou pra ele assim do mesmo jeito que está olhando pra mim agora ? – fechou os olhos – Eu quero te sentir de novo, te ter pra mim... mesmo eu estragando a sua vida, eu sei que você quer isso também. E sei que o Jake te machuca, porque você odeia fingir que gosta dele me amando, e fingindo beija-lo e amar isso.
        – Louis – ela me olhou de volta. Suspirou e eu a peguei no colo – Aonde está me levando ? – abri a porta do quarto de nossos pais – Tá ficando maluco ?
        – Maluco pra te sentir de novo – a deitei de leve na cama – Fica comigo hoje ?
        – No quarto dos nossos pais ?
        – Eu sei que você adora essa adrenalina, assim como eu, eu sei. Eu te conheço bem... – beijei seu colo – o Jake não.. – lhe selei – Me diz que não se entregou pra ele ainda, me fala que eu fui o único ?
        – Você foi o único – sussurrou em meu ouvido – Agora vamos pro quarto, antes que nossos pais cheguem e acabem com isso.
        – Só pense que esse é o último dia que poderemos ficar juntos.
        – Por isso mesmo que eu não quero ficar aqui – ela tinha a expressão falha – Não quero pensar que tenho apenas segundos pra viver com você,  porque quero viver uma eternidade.
        – Me faz sentir essa eternidade então ... hoje ! – mordi seus lábios.
        – Louis... – ela se contorceu na cama e eu me levantei, bufando – Entenda, eu já te expliquei.
        – Acontece que isso tá me machucando também. Ficar vendo aquele carinha segurando seu cabelo e aproveitando de você. Dá vontade de socar a cara dele na mesma hora – disse eu, furioso. Ela riu e beijou meu rosto, então voltei a minha atenção para ela – É sério, se eu te ver mais um vez com ele, vou comprar uma briga imensa.
        – Ei... – bagunçou meus cabelos – Esquece isso – me beijou – Quer me ajudar no banho ? Jake não tá aqui hoje – ela revirou os olhos e a olhei extremamente zangado – Calma, foi só uma brincadeira.
        – Qual parte delas ? – sorri a pegando no colo. A mesma se aconchegou em meu pescoço. 



      A levei até o banheiro e tirei sua roupa, a deixando apenas de calcinha e sutiã. Tranquei a porta e tirei a minha roupa, nem ao menos percebendo, que seunome  já estava nua. Reparei seu corpo e ela havia ganhado mais curvas do que o normal. A quanto tempo não a via assim... Ela retirou a bota e me olhou, tampando o corpo. A peguei no colo e a pus dentro da banheira, com cuidado, entrando logo em seguida. Debaixo da água, retirei minha cueca e a joguei longe, ficando mais a vontade. O pé direito de seunome estava em meu ombro e eu o acariciava delicadamente. A observei ali, em minha frente e olhei seu lindo corpo debaixo daquela água. Não havíamos colocado sabão ainda, então podia enxergar tudo. Toquei sua barriga com toda vontade, e todo o seu corpo. Ela se sentou, com os olhos fechados, e entregue a mim.



    Não que eu nunca tivesse estado cansado depois de dormir com ela, mas aquela noite foi realmente exaustiva. Abri meus olhos e pude notar o sol em volta de nós dois. Estava com o braço a volta de sua cintura e ela dormia como um anjo. Não estava com a bota mais, acho que esquecemos de colocar. Funguei seu cabelo que cheirava a mel e tirei algumas mexas de seu rosto. Observei sua expressão e juntei sua mão com a minha. Beijei seu ombro e mordi, sentindo ela apertar minha mão e sorrir. Ainda estávamos sem roupa.


           – Bom dia – disse em seu ouvido.
           – Dia – resmungou – Ai...
           – Sua perna está doendo ? – disse sentando e mexendo na mesma – Quer por a bota ?
           – Não, foi só um mal jeito – sorriu para mim – Será que nossos pais já chegaram ?
           – Não sei. Ah, mas quem liga ? – beijei ela, com gosto.
           – Louis... você está ai?
           – Ai – revirou os olhos e fechou a cara. Gargalhei – O que foi ?
           – Amei sua cara de ciúminhos – apertei seu nariz.
           – Não estou com ciúmes, quem te disse isso ? – cruzou os braços. Olhei seu corpo pela ultima vez e a beijei, demorado... – Você tem que ir mesmo ?
           – Se você quiser nós vamos lá em baixo, falamos com nossos pais e somos expulsos de casa – sorri sínico – Depois eu volto tá ? E óh... sem Jake.
           – Ah é, vou me lembrar – ela deitou na cama de volta – Tchau !



Sorri de volta e ela suspirou. Nem me lembrei de ajudar ela a colocar a bota, mas não voltei. Maria meio que desconfiou mas que se foda ! Eu amo a seunome demais, e vou lutar pra ficar com ela. Cada segundo !



~

Oie lindas :D 
Estão gostando ? 
espero que siim :)

malikisses :* 

~°~

6 comentários:

  1. Tá muito legal !
    Continua ..........
    xXx yasmin xXx

    ResponderExcluir
  2. Oi amor sou leitora nova achei seu blog atraves da Boo (Imagines 1D) , gostei muito, continue ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o blog não é meu flor :/
      mas é lindo não é ?
      continue lendo, e leia as outras fics, muito boas !

      Excluir